8 Crenças de Chefes Extraordinários

Achei muito bacana essa matéria da revista Inc. que identificou algumas crenças que os CEOs mais bem sucedidos têm em comum.

1. Negócios são ecossistemas e não campos de batalha.

Os chefes “normais” enxergam a dinâmica de negócio como uma guerra, onde os concorrentes são “inimigos” e clientes são “territórios a serem conquistados”.

Já os líderes bem sucedidos entendem que a diversidade é fundamental para sobreviver no ambiente de negócios e desenvolvem equipes que conseguem se adaptar facilmente a novos mercado, formando parcerias com empresas, consumidores e até concorrentes.

2. A empresa é uma comunidade, não uma máquina.

Chefes medianos consideram que a empresa deve ser uma máquina e criam uma estrutura rígida e cheia de regras para manter o controle.

Chefes extraordinários enxergam a empresa como uma coleção de esperança e sonhos individuais que estão conectados em função de um grande propósito. Eles incentivam a equipe a se dedicar ao sucesso dos seus colegas, da comunidade e da empresa.

3. Gestão é um serviço, não controle.

Chefes medianos querem que os empregados façam exatamente o que eles dizem. Qualquer iniciativa de fazer diferente é tomado como insubordinação. É a mentalidade do “espere e veja o que o chefe diz”.

Líderes extraordinários determinam uma direção geral e comprometem-se a disponibilizar os recursos que a equipe precisa para fazer o trabalho. Eles permitem que o time tome as decisões e criem as suas próprias regras, interferindo nas emergências.

4. Meus empregados são meus pares, não minhas crianças.

Chefes medianos enxergam empregados como inferiores, imaturos e não merecem confiança.

Chefes extraordinários tratam cada empregado como as pessoas mais importantes da firma. A excelência é esperada desde os níveis mais baixos até os altos escalões.

5. Motivação vem de uma visão, não do medo.

Chefes medianos acreditam no medo para motivar pessoas. Como resultado, a equipe fica paralisada e não consegue tomar decisões de risco.

Líderes extraordinários inspiram pessoas a enxergarem um futuro melhor e como elas podem fazer parte disso. Como resultado os empregados trabalham duro porque acreditam nos resultados da empresa, verdadeiramente curtem o que estão fazendo e sabem que vão receber as recompensas.

6. Mudança é crescimento, não sofrimento.

Chefes medianos são resistentes à mudança, dificultam o processo… até ser tarde de mais.

Líderes extraordinários acreditam que mudanças fazem parte da vida. Eles sabem que o sucesso só é possível se empregados e empresa abracem novas ideias e novos caminhos de fazer negócios.

7. Tecnologia oferece poder, froça, não automação.

Chefes medianos acreditam que tecnologia serve para manter o controle da gestão e aumenta a previsibilidade, eles instalam sistemas para desumanizar os empregados.

Chefes extraordinário enxergam a tecnologia como uma caminho para criatividade e construção de relacionamentos. Eles buscam ferramentas tecnológicas que as pessoasl realmente querem utilizar, como tablets e smartphones.

8. O trabalho deve ser divertido, não mera labuta.

Chefes medianos acreditam que trabalho é um mal necessário e se enxergam como opressores e a equipe como vítima. Todos acabam se comportando como tal.

Líderes extraordinários enxergam o trabalho como algo que as pessoas deveriam curtir e acreditam que o papel do chefe é alocar pessoas em trabalhos que podem e vão fazê-las realmente felizes.

Link: http://www.inc.com/geoffrey-james/8-core-beliefs-of-extraordinary-bosses.html

Compartilhe:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado

33f231ec-2914-4d0d-b42f-90001b280c54